O sono de má qualidade é um fator ‘enxaquecoso’!

O sono de má qualidade é um fator ‘enxaquecoso’!Dormir bem, em ambiente escuro e silencioso, é muito importante para todo mundo. Para os enxaquecosos o sono reconstrutor, pode ser sinônimo de evitar crises

Em linhas gerais, pode não ser novidade: dormir bem, assim como se alimentar bem e fazer exercícios físicos, é um dos pré-requisitos básicos para se evitar crises de enxaqueca. Mas, ao nos debruçarmos sobre os motivos de toda esta importância do sono, fica ainda mais claro o porquê de ele ser tão importante para a prevenção das crises.

Ao nos dedicarmos a uma boa noite de sono, o cérebro fica mais apto a liberar a tão poderosa melatonina, um hormônio tão poderoso que regula não apenas o sono, mas o ritmo do crescimento – entre crianças e jovens – e a renovação celular entre os adultos, além de ser importante para regular o sistema imunológico. Como se não bastasse, a melatonina também regula a liberação de neurotransmissores fundamentais, como a serotonina – ligado ao bem-estar – e o cortisol (ligado ao estresse).

Porém, a melatonina só é liberada com eficiência quando o cérebro “se convence” de que é hora de dormir. E, para isso, ele precisa perceber que o ambiente está o mais escuro possível, além de silencioso. Caso contrário, ele entende que você ainda deseja permanecer em alerta e não libera a quantidade necessária de melatonina.

É por isso que as luzes artificiais (lâmpadas, tela do computador, do celular ou da TV) e o barulho atrapalham a qualidade do nosso sono. O ideal é que as luzes e aparelhos eletrônicos sejam todos desligados alguns minutos antes da hora de dormir. Com isso, o cérebro vai aumentando a liberação da melatonina e o sono chega com mais força.

Entre os enxaquecosos, esta necessidade de dormir bem é ainda mais urgente. As pessoas que sofrem de enxaqueca devem evitar ao máximo a sonolência e a irritabilidade típicas de quem não dorme bem, pois estes fatores são gatilhos para crises. Dormir fora de hora, como à tarde, também pode desencadear episódios enxaquecosos.

Outro fator de risco para as crises é pegar no sono de forma intensa logo após desligar a televisão ou tirar os olhos do celular. Desta forma, o cérebro se mantém parcialmente em alerta, e as chances de despertar repleto de ansiedade e preocupação no meio da madrugada ficam muito grandes. E estas noites mal dormidas são um convite para a enxaqueca.

Por mais que seja difícil adotar esta prática nos dias de hoje, muitos médicos que tratam pacientes com enxaqueca recomendam que eles passem a dormir cedo a fim de completarem as oito horas de sono recomendadas para a maioria da população. O ambiente deve estar o mais escuro possível, livre de aparelhos eletrônicos ligados, e com grande capacidade de vedar barulhos da rua. Segundo alguns especialistas, adotar esta prática ao longo de alguns meses produz inúmeros benefícios à saúde de todos – além de espaçar as crises e torná-las mais amenas entre as pessoas que sofrem de enxaqueca.

Caso você sofra de insônia ou esteja passando por período de grande ansiedade e estresse a ponto de interferir em seu sono, vale conversar com o médico sobre este problema. Afinal, como está comprovado, uma boa noite de sono pode ser melhor e mais poderosa do que se imagina.

Relacionados