Dicas de alimentação para deixar a cabeça livre da enxaqueca

Dicas de alimentação para deixar a cabeça livre da enxaqueca

A enxaqueca é uma doença multifatorial, isso significa que não só a alimentação pode ser a causadora. Sempre procure um neurologista, o profissional mais indicado a diagnosticar e indicar o tratamento 

Em posts anteriores, mostramos que a alimentação pode tanto ajudar, quanto evitar a enxaqueca e outros tipos de dores de cabeça. Entre as substâncias que são ótimas e que não devem faltar na sua alimentação estão o selênio (presente no salmão, ostras cruas, castanha-do-pará, fígado de boi e farelo de trigo), o magnésio (presente no feijão preto e no espinafre) e o ômega 3 (encontrado no salmão, sardinha, arenque, atum e semente de linhaça).

No entanto, é preciso lembrar que a enxaqueca é uma doença multifatorial. Isso significa que não só a alimentação pode ser a causadora. Na dúvida, sempre procure um neurologista, profissional mais indicado a diagnosticar e indicar o tratamento mais adequado. Confira mais dicas de alimentação para deixar a cabeça livre da enxaqueca:

Vitamina B12 mantém o cérebro funcionando.  A vitamina B12 é fundamental para o pleno funcionamento do sistema nervoso, evitando alterações de sensibilidade no corpo, que podem causar crises de enxaqueca. O sistema nervoso pode ser comparado com um sistema elétrico, onde os nervos são os cabos por onde a eletricidade passa. Ao redor dos nossos nervos existe uma “capa de gordura”, chamada bainha de mielina, que é fundamental para a passagem do estímulo nervoso e a proteção do nervo.

Na falta de B12, ocorre a desmielinização, que é uma espécie de defeito na bainha de mielina. São boas fontes de vitamina B2: fígado de boi, mariscos, ostras cruas, atum, ovos e leite. A recomendação diária é de 2,4mcg em adultos.

Invista nos antioxidantes. As substâncias antioxidantes têm o poder de fazer a varredura do excesso de radicais livres e outras substâncias tóxicas em nosso organismo. Essa ação contribui para o equilíbrio metabólico e o melhor funcionamento da circulação, além de ser anti-inflamatória. Essas propriedades funcionais podem amenizar o sintoma de dor, interferindo indiretamente na incidência de enxaquecas.

Os antioxidantes estão presentes em diversas vitaminas, por isso o ideal é incluir muitas frutas, legumes e verduras no cardápio. Cenoura, mamão, abobrinha, vegetais e frutas alaranjadas, germe de trigo, óleos vegetais, vegetais de folhas verdes, oleaginosas e frutas vermelhas são ótimas fontes.

Modere os carboidratos. Os carboidratos são a principal fonte de energia do nosso corpo. Tanto a falta quanto o excesso desse nutriente pode ser um gatilho para disfunções metabólicas, tendo como um dos sintomas a dor de cabeça. Por isso, nada de cortar os carboidratos da dieta, mas, sim, maneirar na ingestão.

As principais fontes de carboidratos são pães, arroz e massas, de preferência todos integrais, pois assim fornecem mais fibras.

Coma de três em três horas. Comer de três em três horas é importante para manter os níveis glicêmicos do organismo. Quando ficamos sem comer por muito tempo, sofremos uma hipoglicemia (baixa dos níveis glicêmicos) que pode causar dor de cabeça e pressão baixa.

Gostou das nossas dicas? Então leia também: Alimentos podem ser gatilho para enxaqueca

Relacionados