Corte o mal pela boca

Corte o mal pela boca

Enxaqueca é a mais conhecida das cefaleias – o termo técnico para dor de cabeça. Não é a única, já que a Sociedade Internacional de Cefaleia reconhece mais de 150 modalidades do distúrbio, e também não se manifesta da mesma forma para todos: há pessoas que relatam palpitações em toda a cabeça, outras, por exemplo, pontadas localizadas. Apenas um aspecto é comum: qualquer um, dos estimados 35 milhões de brasileiros que sofrem com esse problema, daria tudo para solucioná-lo de uma vez por todas.

Só nos últimos anos, a indústria farmacêutica lançou inúmeros medicamentos eficazes para o tratamento de enxaquecas e com mínimos efeitos colaterais. Ainda assim, há vários pacientes que não respondem satisfatoriamente às pílulas e, por isso, necessitam usar essas medicações várias vezes na semana. Se você, ou alguém próximo, faz parte desse grupo, sabe bem os transtornos que acompanham essa enxaqueca no dia-a-dia (mal-estar, indisposição, enjoo, falta no trabalho), e o quanto seria bom encontrar uma forma de evitar pelo menos as crises agudas.

A boa notícia é que há sim um tratamento preventivo capaz de minimizar a necessidade de medicamento. Mas não espere um milagre ou uma saída mágica e complicada. A velha e tão recomendada alimentação saudável é um santo remédio. Quem garante a sua eficácia é o médico Alexandre Feldman, um dos maiores especialistas em cefaleias do país, membro ativo da Sociedade Americana de Cefaleia (American Headache Society) e fundador da Associação Brasileira para a Prevenção da Enxaqueca.

Lista dos alimentos proibidos:

Os itens abaixo devem ser totalmente suspensos das suas refeições somente por três meses, por conterem substâncias que comprovadamente acentuam os sintomas de enxaqueca. Para fazer as substituições, confira a lista dos alimentos liberados, seguindo as recomendações quanto ao modo de preparo.

Leite de vaca

Café, chás, guaraná em pó

Sucos, inclusive os naturais, e refrigerantes

Açúcar, adoçantes, mel

Pães, massas, batatas, mandiocas, amidos em geral e farináceos

Óleos vegetais (exceto os da lista dos permitidos)

Margarina, gordura hidrogenada vegetal

Frango, moluscos, camarões e frutos do mar, embutidos, enlatados

Glutamato monossódico e aditivos artificiais

Frituras e alimentos muito gordurosos

Certas restrições alimentares são comuns a todos os casos de enxaqueca, como redução de gordura, aditivos químicos, açúcar ou adoçantes.

Mas, como cada pessoa tem seu ritmo e estilo de dieta, é fundamental, inicialmente, a pessoa fazer um registro alimentar diário, anotando os ingredientes que se repetem nos dias que antecedem as crises. Para isso, a Libbs desenvolveu um aplicativo chamado Diário da Cefaleia, disponível para PC e iOS (iPhone/iPad). Lá é possível anotar tudo sobre a doença, imprimir as informações para leva-las ao neurologista na próxima consulta. Saiba mais sobre o aplicativo, aqui.

Fonte: revista Viva Saúde

Relacionados